Você recebe muitos e-mails indesejados, nos quais você não tem o menor interesse? E ainda fica se perguntando como conseguiram o seu e-mail? Você possui uma política de anti-spam bem configurada para evitar esse problema?

Vale a pena se ligar neste artigo para entender melhor a origem desse verdadeiro incômodo. Também indicaremos as principais características do spam, e algumas regras básicas para não acabar caindo na caixa de spam dos seus destinatários. Por fim, será evidenciado a importância de se configurar uma política de anti-spam corretamente, bem como suas vantagens.

Como surgiu o spam?

De acordo com o site Copel Telecom, o termo “spam” surgiu por volta de 1937, nos EUA. Na época, era o nome de uma marca de presunto enlatado. Porém, após uma sátira feita em um programa de TV, as coisas mudaram. Assim, o termo “spam” passou a designar aquilo que é enviado em excesso e contra a vontade de quem recebe. Logo, “anti-spam” seria o bloqueio dessas mensagens indesejadas.

Como identificar um spam?

Algumas mensagens de spam são mais difíceis de identificar. Isto ocorre porque, muitas vezes, o modo como os e-mails são escritos realmente nos leva a crer que se trata de algo real.

Todavia, alguns pontos costumam ser comuns à maioria das mensagens, e até mesmo ferramentas de anti-spam mais simples podem reconhecê-las. Então, veja alguns exemplos a seguir, e aprenda como evitar que os e-mails que você envia acabem caindo na caixa de spam dos destinatários, ou ainda em blacklists.

Linguagem apelativa

“Quando a oferta é boa demais, o santo desconfia”. O spam é um bom exemplo desse ditado. Geralmente, o próprio título das mensagens de spam são redigidos de modo a encantar quem está lendo. Promessas como “emagreça 5 quilos em UMA SEMANA!”, “descubra o segredo para enriquecer trabalhando na Internet” e “você tem um boleto em atraso” são muito comuns. Isso sem falar no famoso “Você não vai acreditar no que aconteceu!”

Mas isso não passa de uma estratégia para que o usuário clique logo no link que geralmente acompanha a mensagem. E é aí que está a grande armadilha: o link.

Imagine que a pessoa que escreveu o e-mail domina técnicas de escrita persuasiva e sabe como fazer para sua mensagem não ser considerada spam. Neste caso, a ferramenta de anti-spam utilizada pode não identificar tal mensagem como sendo maliciosa.

Link com conteúdo duvidoso

O objetivo da estratégia citada acima é justamente fazer com que o usuário interaja com o e-mail. Ele pode responder (o que comprova que o e-mail é de um usuário real e está ativo) ou, pior ainda, clicar no link que o acompanha. O link pode redirecionar o usuário para um site indesejado, e até mesmo baixar algum arquivo que contenha vírus ou malware. Ou seja, as chances de a empresa sofrer um ataque ransomware aumentam.

Como evitar o recebimento de spam?

Deve-se tomar alguns cuidados para ficar longe do temível spam. Embora pareçam óbvios, sempre vale a pena reforçar. Por isso, além de ter uma boa proteção no seu dispositivo, como um antivírus eficaz, algumas dicas são fundamentais.

Mantenha seu e-mail em segredo o máximo que puder

Por mais tentador que seja, oferecer seu endereço de e-mail como “moeda de troca” para poder acessar ou baixar algum conteúdo na Internet pode não ser uma boa ideia. Afinal, a não ser que o site em questão deixe bem claro o que será feito com essa informação, pode ser que você comece a ser bombardeado com spam.

Seja cauteloso e seletivo ao utilizar seu e-mail para cadastro em sites

De fato, é chato ficar lendo os termos de compromisso e políticas de privacidade, mas dar uma olhadinha não custa nada, né? Pois ali consta – ou deveria constar – todas as possibilidades de uso das informações inseridas. Depois de clicar em “aceito”, você confirma que está de acordo com o que está escrito naqueles documentos. Vale lembrar que tem se dado cada vez mais importância aos dados pessoais, tanto por parte dos próprios usuários, quanto por parte das empresas – e também de golpistas.

Não responda!

Sabe aquela história de visualizar e não responder? Pois é, aqui é permitido – e até indicado. Na realidade, o ideal mesmo é nem abrir um e-mail que já tenha uma “cara” suspeita. Como dito anteriormente, quando alguém responde a um e-mail, isso confirma que aquele e-mail existe, e mais: está ativo. Assim, provavelmente o remetente continuará incomodando com mais e-mails, até cansar; ou até você cair no golpe dele.

Qual a vantagem de utilizar o anti-spam do S4?

Com tudo o que foi falado até aqui, já deu para ter uma ideia da importância de se configurar um anti-spam da forma correta, né? E a Seti pode ajudar a sua empresa a ter mais segurança nesse sentido!

O software S4 foi desenvolvido para ser um aliado das empresas, não importa o segmento, e tem ajudado vários clientes a ter uma internet corporativa mais segura. Conta com um módulo específico para anti-spam, que possui diversos filtros para proteger sua caixa de e-mail de mensagens indesejadas e ameaças.

Saiba mais sobre o anti-spam do S4 neste vídeo, ou clique aqui para conhecer os demais módulos do nosso software.

E aí, surgiu interesse? Entre em contato conosco ou solicite uma demonstração para conhecer mais e tirar suas dúvidas com nossos consultores!

 

Obrigado pela parceria de sempre, e até a próxima!