5 erros que afetam a segurança de softwares nas empresas

Muito tem se falado sobre a transformação digital, e como isso impactou as organizações atualmente. A nova era digital trouxe muitos benefícios para o ambiente de trabalho como, por exemplo, otimização de tarefas, melhor organização operacional, armazenamento de dados, maior produtividade, entre outras muitas melhorias.

Mas junto com os benefícios, vieram alguns problemas também, até porque sabemos que nenhuma tecnologia é perfeita, todas estão suscetivas a erros. E quando falamos em organizações esses erros podem acarretar em grandes problemas, principalmente quando está relacionado a segurança da informação.

Afinal, se um software corporativo estiver vulnerável, estará muito mais suscetível a ocorrer um ciberataque, que consequentemente levará a diversos problemas para a organização, como roubo de dados, exposição de conteúdos sigilosos, afetando seus clientes e fragilizando a corporação.

Por isso, separamos aqui os 5 principais erros que afetam a segurança de softwares nas empresas.

 

1. Não efetuar atualizações

Quando falamos em vulnerabilidades em softwares, as atualizações periódicas são as principais ferramentas para combatê-las, isto porque é através destas atualizações que a correção e prevenção de bugs nos sistemas são efetuadas.

Os gestores sempre precisam ficar atentos quando uma nova versão do software é divulgada, para que as devidas atualizações sejam efetuadas, garantindo assim a segurança dos mesmos e prevenindo a empresa de possíveis ataques.

 

2. Não efetuar controle

Se o departamento de TI da empresa ou a própria empresa não estabelecer uma política de controle de acesso a rede e arquivos, a organização pode estar correndo sérios riscos de vulnerabilidade.

Através do controle de acesso o usuário fica restrito a navegar apenas em arquivos e informações que são destinadas a sua função, verificando assim comportamentos que são suspeitos e podendo bloqueá-los se for necessário.

Softwares como o S4 para controle de acesso a internet, contém diversas funcionalidades que garantem a segurança dos dados corporativos que podem ser feitos através de ciberataques.

 

3. Não efetuar criptografia

A criptografia pode ser definida como um conjunto de técnicas que são desenvolvidas para proteger uma informação, técnicas estas que ocultam uma mensagem, onde apenas algumas pessoas que possuem a “chave”, podem obter o acesso a estes dados.

A transmissão de informações relevantes sem a criptografia, põe em risco dados sensíveis para empresas de todos os portes. Por isso, é importante investir em soluções que garantem a utilização de criptografia, desta forma é muito mais garantido que não ocorrerá uma invasão em sua rede de dados.

 

4. Não efetuar monitoramento

Um dos principais itens que garantem a detecção de erros e falhas na segurança é o monitoramento, uma empresa que não monitora sua infraestrutura de TI, pode expor seus funcionários e a própria empresa muito facilmente.

O monitoramento além de garantir a detecção destes erros e falhas, também pode verificar como estão seus softwares e hardwares para possíveis trocas e novos investimentos relacionados a tecnologia.

O SM, por exemplo, é um software especializado no monitoramento da infraestrutura de TI, onde pode ser feito um controle de todos os ativos da empresa que tem alguma conexão com a rede, além disso, alertas são enviados em tempo real sobre a saúde da TI, detectando problemas em sua fase inicial.

 

5. Não efetuar prevenção

Fazer manutenções preventivas diminuem prejuízos e falhas que podem acontecer no ambiente de TI. Por isso, é muito importante uma gestão de TI pró ativa, onde os problemas podem ser enxergados antes mesmo de ocorrerem, isto acontece através do controle e do monitoramento da infraestrutura, como já foi comentado anteriormente.

Se uma prevenção não é feita, as falhas só serão corrigidas depois de ocorrerem, isto pode acarretar em diversas perdas para a empresa, tanto de dados, como financeiramente, afinal uma empresa que não tem segurança está fadada a riscos de vulnerabilidade.

Achou interessante o conteúdo de hoje? Então não se esqueça de assinar a newsletter para receber mais dicas e curtir a nossa página no Facebook!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *